Ultimamente, muito tem se falado das mudanças que a reforma administrativa trará para o mundo dos concursos, mas será que, apesar dela, ainda vale a pena se dedicar ao concurso público?

Bem, não vou entrar no detalhe do teor das alterações que estão por vir, até porque, por enquanto, nem sabemos exatamente em quais termos a PEC será aprovada ao final do processo legislativo. Iremos discutir apenas no que devemos nos basear para tomar essa importante decisão.

Geralmente, a primeira opção de trabalho da grande maioria das pessoas é partir para a iniciativa privada, entretanto, por alguma dificuldade encontrada nessa área, que pode ser falta de oportunidade, remuneração inicial não atrativa, cobrança excessiva, sobrecarga de horário de trabalho, dentre outras razões, as pessoas cogitam migrar para o serviço público.

Algumas considerações eu acho importante a pessoa fazer antes de tomar essa decisão, e a reforma administrativa interfere nisso, mas não é o ponto fundamental na tomada dessa decisão. Para decidir o caminho a ser tomado, devemos considerar os prós e os contras de cada opção que temos: iniciativa privada x serviço público.

A reforma administrativa pode tirar algumas vantagens que o serviço público tem atualmente, mas, a grande maioria, não tem como ser alterada, mesmo a estabilidade de carreiras tipicamente de estado, que constitui os principais concursos atualmente (carreiras fiscais, policiais, controle, MP, etc) não deve sofrer alteração muito drástica. Acredito que as carreiras administrativas serão as mais afetadas.

Quando decidi estudar para concurso sabia que passando teria estabilidade no trabalho, mas também sabia da indefinição que é mundo dos concursos (Quando vai ser a prova que eu tanto quero? Será que estarei preparado quando a prova chegar?). Sabia que eu não teria a pressão que é trabalhar no serviço privado, mas também sabia que meu salário não iria subir caso eu me destacasse dentre meus futuros colegas. Sabia que teria um bom salário, mas também sabia que nunca atingiria o patamar de salário que a iniciativa privada poderia me proporcionar. Recentemente, vimos o Ministro da Economia, Paulo Guedes, falando que o salário do alto escalão do serviço público é baixo, se comparado com o serviço privado.

Portanto, no momento de tomar essa importante decisão, temos que pesar os maiores benefícios no serviço privado, e quais as nossas reais chances de atingir patamares interessantes nesse setor, com os problemas desse setor, como pressão no trabalho, dificuldade de encontrar emprego, etc, e comparar com o benefícios e dificuldades do setor público nas regras atuais, ou seja, passada a reforma, você tem que comparar com a nova situação do setor público, e não como ele era antes da reforma.

Na época que eu estudei, a aposentadoria integral já havia acabado, portanto, quando pensei nos problemas do serviço público não incluí a aposentadoria, pois agora a regra é a mesma do serviço privado, por outro lado, não fiquei me lamentando que antigamente era assim, e que agora não valeria mais a pena estudar.

Portanto, encare essa reforma administrativa como deve ser encarada, pense nas condições do serviço público no momento que você irá assumir seu cargo, e não em como ele era anos atrás.

Receba nossas novidades por e-mail

Autor(a): Professor Henrique Tiezzi

É formado em Física Médica pela Unesp de Botucatu. Estudei dois anos na Europa (Itália e Inglaterra), na volta ao Brasil, trabalhei um ano com pesquisa no LNBio (Laboratório Nacional de Biociências) dentro do CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais) localizado em Campinas/SP. Atualmente sou Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo, tendo sido aprovado no concurso de 2013.

Instagram did not return a 200.

Siga-nos no Instagram

Scroll Up