Olá meus amigos. Tudo bem? Espero que tenham feito uma boa prova.

A seguir seguem os comentários de Direito Civil (AJAJ).

Atenção especial para a questão 79, pois acredito que cabe recurso.

Grande abraço.

E nunca se esqueçam: sacrifício provisório = a benefício permanente.

Elisa Pinheiro.

DIREITO CIVIL

28. Comete abuso de direito o titular de um direito que, ao exercê-lo, excede manifestamente os limites impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes. Para o Código Civil, o abuso de direito constitui ato

(A) ilícito, porém plenamente válido e eficaz.

(B) lícito, mas que dá causa ao dever de indenizar.

(C) lícito, mas que não produz efeitos.

(D) ilícito, que dá causa ao dever de indenizar.

(E) ilícito, mas que não dá causa ao dever de indenizar.

Resposta: D

Comentário:

Item D certo, pois conforme art. 187 do CC. Também comete ato ilícito o titular de um direito que, ao exercê-lo, excede manifestamente os limites impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes.

Como o abuso de direito é um ato ilícito, consequentemente existe o direito de indenizar.

29. Patrícia e Beatriz celebraram contrato de compra e venda de um automóvel usado, convencionando que o preço seria fixado por Fernando, o qual, por sua vez, recusou a incumbência. Nesse caso, o contrato

(A) é juridicamente inexistente, pois é vedado atribuir a terceiro a fixação do preço em contrato de compra e venda.

(B) é nulo de pleno direito, pois é vedado atribuir a terceiro a fixação do preço em contrato de compra e venda.

(C) é nulo de pleno direito, pois só se admite atribuir a terceiro a fixação do preço em contratos de compra e venda de coisas fungíveis.

(D) era válido por ocasião da celebração, mas a recusa de Fernando o tornou inválido.

(E) é válido, mas ficará sem efeito por conta da recusa de Fernando, salvo se Patrícia e Beatriz designarem outra pessoa para fixar o preço.

Resposta: E

Comentário:

Item E correto, pois conforme art. 485 do CC. A fixação do preço pode ser deixada ao arbítrio de terceiro, que os contratantes logo designarem ou prometerem designar. Se o terceiro não aceitar a incumbência, ficará sem efeito o contrato, salvo quando acordarem os contratantes designar outra pessoa.

30. Por meio de escritura pública, André outorgou a Beatriz mandato para que, em seu nome, ela pudesse celebrar contratos. A escritura foi omissa quanto à possibilidade de substabelecer (não a autorizava, nem a vedava expressamente). Ainda assim, por meio de instrumento particular, Beatriz substabeleceu os poderes que a ela tinham sido outorgados a Carlos, que praticou atos em nome de André. Nesse caso,

(A) o substabelecimento é válido, sendo que Beatriz responderá, perante André, pelos atos praticados por Carlos, independentemente de culpa deste.

(B) o substabelecimento é inválido, pois exigia, necessariamente, a mesma forma do mandato (instrumento público); além disso, Beatriz responderá, perante André, pelos atos praticados por Carlos, independentemente de culpa deste.

(C) o substabelecimento é inválido, pois a possibilidade de substabelecer não foi prevista na escritura pública de mandato; além disso, Beatriz responderá, perante André, por eventuais atos culposos praticados por Carlos.

(D) o substabelecimento é válido, sendo que Beatriz responderá, perante André, por eventuais atos culposos praticados por Carlos.

(E) o substabelecimento é válido, sendo que Beatriz não responderá, perante André, por eventuais atos culposos praticados por Carlos.

Resposta: D

Comentário:

Art. 667 do CC. O mandatário é obrigado a aplicar toda sua diligência habitual na execução do mandato, e a indenizar qualquer prejuízo causado por culpa sua ou daquele a quem substabelecer, sem autorização, poderes que devia exercer pessoalmente.

§ 4o Sendo omissa a procuração quanto ao substabelecimento, o procurador será responsável se o substabelecido proceder culposamente.

31. Acerca do domicílio, considere:

I. A União tem domicílio múltiplo, no Distrito Federal e na Capital de todos os Estados da Federação onde houver procuradoria em funcionamento.

II. Mesmo tendo a pessoa jurídica diversos estabelecimentos em lugares diferentes, apenas o lugar da sua sede é considerado seu domicílio.

III. O servidor público tem domicílio necessário.

IV. Se a pessoa natural exercitar profissão em lugares diversos, terá domicílio apenas no lugar onde se concentrar sua principal atividade.

V. A pessoa natural que não tenha residência habitual considera-se domiciliada no lugar onde for encontrada.

Está correto o que consta APENAS de

(A) IV e V.

(B) I e II.

(C) I e III.

(D) II e IV.

(E) III e V.

Resposta: E

Comentário:

Item I errado, pois de acordo com o art. 75 do CC. Quanto às pessoas jurídicas, o domicílio é: I – da União, o Distrito Federal.

Item II errado, pois de acordo com o art. 75, § 1o do CC. Tendo a pessoa jurídica diversos estabelecimentos em lugares diferentes, cada um deles será considerado domicílio para os atos nele praticados.

Item III certo, pois conforme art. 76 do CC. Têm domicílio necessário o incapaz, o servidor público, o militar, o marítimo e o preso.

Item IV errado, pois conforme art. 72 do CC. É também domicílio da pessoa natural, quanto às relações concernentes à profissão, o lugar onde esta é exercida.

Item V correto, pois conforme art. 73 do CC. Ter-se-á por domicílio da pessoa natural, que não tenha residência habitual, o lugar onde for encontrada.

Receba nossas novidades por e-mail

Autor(a): Professora Elisa Pinheiro

Profissional formado em Ciências Jurídicas pelo IESB-DF. Especialista em Direito do Trabalho. Advogada militante na seara laboral desde 2005. Consultora jurídica. Professora em cursos preparatórios para concursos públicos e OAB na modalidade on-line e presencial. Ministra aulas de Direito do Trabalho e Processual do Trabalho, Civil e Processual Civil e Direito Constitucional.

  • A Língua Portuguesa é incrível! O quão afiado anda o seu vocabulário, concurseiro? 😉
  • O seu concurso dos sonhos está se aproximando e a melhor preparação está no Ponto. 😉 Estude com professores renomados e garanta sua vaga na PPGG/DF! http://bit.ly/ponto-ppgg
  • SORTEIO para os concurseiros de plantão! Participe e concorra a um livro com questões comentadas da Profa. Claudia Kozlowski para te ajudar em um dos assuntos mais importantes do CESPE: língua portuguesa. 📖

Participar é muito fácil, basta seguir as regras:
- Curta este post;
- Marque um amigo nos comentários (quanto mais comentar, mais chances você tem de ganhar!);
- Siga a gente (@pontodosconcursosoficial) e a @profclaudiakoz;
- Não vale marcar fakes, empresas, fã clubes ou celebridades, tá?

E pronto! Depois é só torcer pra ganhar um dos exemplares mais desejados do mundo dos concursos. 😉

O sorteio acontece no dia 28/8.
  • Já decidiu alcançar seus objetivos hoje, concurseiro? Não desista! 😉
  • O Pomodoro ajuda a gerenciar o tempo e estimular o foco. Quais técnicas de gerenciamento você usa, concurseiro?
  • Quem nunca? 😂
  • E aí, concurseiro, quais metas você anda traçando? 😎
  • Participe da nossa palestra gratuita “O Caminho da Aprovação”. Após cinco anos se dedicando aos estudos, o Prof. Felipe Machado descobriu os melhores caminhos para obter êxito em sua aprovação. Inscreva-se no link: bit.ly/Caminho_da_Aprovação

Siga-nos no Instagram

Scroll Up