Vimos semana passada, neste artigo, como é eficiente exercer suas tarefas no fluxo do momento. Hoje, veremos técnicas que podem ajudar você atingir esse estado sereno e disciplinado.

No entanto, antes de começarmos cumpre esclarecer que eu não sou um mestre em meditação, nem vivo o dia todo no fluxo do momento. Estou longe disso. Sou um aprendiz muito, mas muito iniciante. Utilizo a técnica para cumprir tarefas específicas, como escrever um artigo, analisar um processo no trabalho ou até mesmo falar em público. Mas se me permitir, gostaria de compartilhar com você o que aprendi e o que vem funcionando pra mim.

Para aprender a trabalhar ou estudar no fluxo do momento você não precisa de um talento nato. Como todas as habilidades sutis, ela pode ser aperfeiçoada com treino.

Em tese, qualquer pessoa pode conseguir. No entanto, a prática me mostrou que há dois grupos de pessoas: aquelas que conseguirão (a maioria). E aquelas que não conseguirão, não por não terem talento ou capacidade, mas porque o ego é tão grande que não se permitirão nenhum tipo de ajuda ou tentativa.

Algumas dicas úteis:

Observe-se. Praticamente todas as práticas meditativas trazem um princípio básico: você deve aprender a observar seus pensamentos. Quando você observa um objeto, uma almofada, por exemplo, você não é o objeto, pois ele está fora de você. Com os pensamentos é a mesma coisa. Se você os observa, você quebra a identificação que tem com eles. É simples, mas exige treino. Toda vez que começar a pensar demais, não reaja. Apenas observe. “Nossa, estou pensando em desistir de estudar. Que interessante”! Você vai notar que o fluxo de pensamentos irá, com o tempo, diminuir bastante. Sem pensamentos incomodando, obviamente conseguirá fazer o que precisa ser feito. Na verdade, cientistas descobriram que, quando você dá esse flagrante nos pensamentos, a área do cérebro relacionada à divagação mental diminuí sua atividade.

O erro mais grave. A pior atitude que você pode tomar é combater pensamentos com pensamentos. É como se você intensificasse o processo. Lembre-se: estamos querendo pensar menos para trabalhar no fluxo do momento. E, quando você, deliberadamente, começa a dialogar com sua mente, você só está alimentando o fogo. Nunca faça isso. A mente (local que produz pensamentos) é uma máquina de resolver problemas. A cada vez que você se encontra numa situação difícil, ela vai começar a disparar pensamentos em lotes para tentar resolver seus problemas. Isso é bom! Mas quando ocorre de forma descontrolada é como se o seu sistema inundasse e, em alguns casos, podendo levar a um colapso total. Nesses casos, você perde a capacidade de se autorregular e não exerce a disciplina para cumprir seus deveres.

Permaneça consciente. No início, pode parecer meio estranho ou complicado observar seus pensamentos, mas não se cobre tanto. A maioria de nós divaga muito. Divaga tanto que nem nota. É como se vivessem em uma espécie de matrix mental. São pessoas totalmente identificadas com seus pensamentos. Surge um pensamento de raiva, ficam com raiva. Surge um pensamento de inveja, sentem inveja. A matrix é isso: uma ilusão. Entre você e o mundo real há a matrix de pensamentos. Na verdade, você não é seus pensamentos. Quando surge um pensamento de raiva, inveja ou desprezo não necessariamente você precisa sentir raiva, inveja ou desprezo. Um exemplo para ficar claro. Imagine que alguém bata no seu carro. Você sentirá uma sensação de raiva brotar naturalmente dentro de você. O que você vai fazer? Se você estiver inconsciente, ou seja vivendo na matrix, você partirá para a briga ou a ofensa. Se você saiu da matrix você observará essa sensação surgir dentro de você, notará como ela cresce, como ela o afeta e não reagirá. Irá esperar ela se esvair. Fazendo isso, você se tornará um ser consciente e passará a mandar nos seus pensamentos. Outro exemplo comum. Você está no sofá na maior preguiça do mundo e chegou a hora de estudar. Surgirá dentro de você espontaneamente uma sensação de preguiça. Se você está inconsciente, preso na matrix, você continuará deitado no sofá. Se você está consciente, você observará a sensação de preguiça, não reagirá, se levantará e irá para escrivaninha. Pessoas inconscientes vivem à mercê de seus pensamentos. São obedientes ao diálogo mental. Assuma o controle. Observe seus pensamentos. Permaneça consciente.

O que vale é a guerra. Em matéria de controle do fluxo de pensamentos, o que conta são suas horas de voo em combate real. Você pode ser a pessoa mais bem intencionada do mundo. No entanto, se você não exercer sua intenção em situações desconfortáveis do cotidiano, você não irá melhorar. Tomemos o exemplo novamente da batida de carro. Se você sair do carro brigando, você perdeu uma chance incrível de observar como a sensação de raiva tem o poder de influenciar suas ações. As sensações são os pensamentos manifestados no plano físico. Toda vez que você sentir preguiça de estudar, nojo de algo, raiva de alguém, desprezo por alguma situação aproveite o gancho para treinar sua capacidade de permanecer consciente. Se sua esposa/marido iniciar uma discussão observe como as palavras dela/dele estão influenciando você. Não altere seu semblante e tente permanecer relaxado(a). Note surgindo dentro de você uma vontade quase irresistível de atacar verbalmente a outra pessoa. Espere essa sensação se esvair. Outro exemplo bem comum. Sabe aquela pessoa chata e tagarela que vem falar contigo? Então, preste atenção total ao que ela diz e tente não ficar pensando. Escute ativamente e não fique imaginando a resposta que vai dar. Doe sua atenção a ela. Em resumo: situações desconfortáveis são ótimas oportunidades para aprimorar sua capacidade de permanecer consciente e exercer seu foco no momento. Não adianta saber intelectualmente o que fazer se você não faz. A cada situação dessa, se você se esforça para não reagir, fazer o que precisa ser feito e não se deixar dominar pelos pensamentos, você sairá cada vez mais mentalmente forte.

Traga-a de volta! Depois de notar a mente vagar ou as sensações querendo tomar conta de você, traga seu foco de volta ao objeto da ação (os estudos, por exemplo). Em aulas de meditação, é comum o professor falar “quando notar a mente vagar, traga-a de volta”. Na verdade, toda vez que você exerce sua força de vontade deliberada para trazer o foco para o momento é como se você estivesse em uma academia de ginástica. Só que, ao invés de fortalecer músculos, você está fortalecendo o foco, a capacidade de tirar sua atenção de uma distração e alocá-la onde deseja. E eu vou te contar uma coisa. Se tem uma habilidade que você deveria treinar é a capacidade de se concentrar. Não há técnica de estudo melhor que permanecer focado na leitura.

Uma coisa de cada vez na vida e na mente. Tudo, simplesmente tudo, que for fazer tente focar completamente na ação que está sendo executada. Ao entrar na cozinha para beber água, não abra a geladeira simultaneamente. Apenas beba água. Quando você ficar com seu filho, dê atenção plena a ele. Quando alguém vier falar com você, pare o que está fazendo e escute ativamente. Ao caminhar, ande devagar e preste atenção nos seus passos, nas coisas ao seu redor. Tente estabelecer uma conexão com a realidade. Há um princípio psicológico básico: o que você faz em uma área de sua vida transborda para outras. Se você vive agitado, correndo de um lado para o outro tentando resolver as pequenas urgências do cotidiano, muito provavelmente você se sentirá agitado ao estudar. Sua mente vagará mais.

Não se iluda com o tempo. Se você parar para analisar, não existe passado ou futuro. São noções de tempo criadas por você. No momento que você está lendo um livro, aquele instante é o que verdadeiramente existe. O restante são resquícios de momentos presentes que já passaram ou expectativas quanto a futuros momentos presentes. Cultivar essa perspectiva ajuda a desenvolver a habilidade de trabalhar no fluxo do momento.

Paciência. Exercer o foco, permanecer no momento são habilidades que leva uma vida para aprender. No entanto, só de você fazer um esforço verdadeiramente sincero notará melhora. Contente-se em aprender. Em se interessar pelo tema e colocar em prática o que aprendeu.

Trabalhar no fluxo do momento é a verdadeira disciplina. Calma, constante, sem cobranças ou desespero. O fluxo do momento é silencioso, intenso e preciso como o ataque do tigre. Não há necessidade de dizer algo ou entender com fórmulas complexas. Você faz e pronto. Não há julgamentos, agitação ou pedidos de socorro. Há apenas certeza e paz.

No fluxo do momento, você conseguirá tomar decisões mais conscientes e pensar com maior clareza. Com gentileza, insistência e as técnicas ensinadas, você pode utilizar esse poder magnífico para melhorar o rendimento nos seus estudos.

Receba nossas novidades por e-mail

Autor(a): Professor Igor Oliveira

Igor Oliveira é servidor público federal, Analista Técnico da SUSEP. Foi oficial fuzileiro naval e piloto de helicóptero na Marinha do Brasil. Igor faz parte da equipe da coordenação do Ponto dos Concursos.

  • Aquela doce ilusão... 😊
  • Que tal algumas dicas para te ajudar a se sair melhor nos estudos? ;)
  • Pronto para mais uma prova, concurseiro? A Turma de Elite é um curso completo com treinamento à altura para os melhores concursos do país. Saiba mais em: bit.ly/cursos_TJCE
  • Não espere a oportunidade surgir, vá em busca dela. 👊🏽
  • A gente sabe bem como é estudar com esses carinhas. 😂
  • Que tal um bom filme para se inspirar e descansar a mente por alguns instantes? O fim de semana chegou. Aproveite, concurseiro! ;)
  • Entender como funcionamos é um ótimo caminho para conseguirmos manter o foco. Confira as dicas. ;)
  • Todo dia é uma oportunidade para você ficar mais próximo dos seus objetivos. Siga firme, concurseiro! 👊🏽

Siga-nos no Instagram

Scroll Up