Olá, querido (a) amigo (a), meus cumprimentos! 

Neste artigo, abordaremos a diferença entre dado, informação, conhecimento e inteligência. Esse assunto é de grande valia para a prova de Tecnologia da Informação. Então, vamos lá!

Dado

Desde que entramos na ERA da INFORMAÇÃO, o dado é um elemento de suma importância. Nas atividades diárias necessitamos de aplicações que envolvem bancos de dados. Exemplos: aplicações de Internet Banking; reservas em hotéis ou companhias aéreas; etc.

Mas, o que é um dado?  É um registro de alguma entidade. Um nome é um dado, uma foto é um dado, 134 é um dado, 5 é um dado, etc. Trata-se de uma sequência de símbolos, também conhecidos como signos, que podem ser representados com sons, imagens, textos, números e estruturas. Não há semântica envolvida no dado. Não há uma interpretação sobre essa sequência de símbolos. É algo “bruto”, como o número 10 ou a letra F.

Moresi (2001) destaca que dados são fatos ou observações “crus”. Mais especificamente, os dados são medidas objetivas e quantitativas dos atributos (características) de entidades como pessoas, lugares, coisas e eventos (conjunto de fatos).

Os dados são uma parte pequena da informação, que sozinhos não fazem sentido!  

Informação

Já a informação é um dado depois de processado, é uma contextualização de um dado... Como assim? “5” é um dado, mas e se eu disser o seguinte: “No dia 5 não haverá aula!”. Nesse caso, o 5 passou a ter sentido (ou passou a ter “contexto”) e agora é uma informação!

Informações são conjuntos de dados significativos e úteis a seres humanos em processos como o de tomada de decisões.  “São dados interpretados, dotados de relevância e propósito” (DRUCKER, 1999).

Conforme destacado por Moresi (2001), informações são dados que foram organizados e ordenados de forma coerente e significativa para fins de compreensão e análise (sendo a base para ações coordenadas).

A transformação de dados em informação é frequentemente realizada através da apresentação dos dados em uma forma compreensível ao usuário. As informações são produzidas pelo processamento de dados. Elas são utilizadas para revelar o significado dos dados.

Fonte: (O´BRIEN, 2006)

Na figura anterior, dados brutos registrados por um caixa de supermercados podem ser processados e organizados de modo a produzir informações úteis, tal como o total de unidades de detergentes vendidas ou a receita total de vendas do detergente para determinada loja ou território de vendas.

Conhecimento

Conhecimento (ou Capital Intelectual) é a habilidade de transformar a informação em ações reais. O conhecimento é uma mistura de elementos estruturados de forma intuitiva e, portanto, é difícil de ser colocado em palavras ou de ser plenamente entendido em termos lógicos.

Conhecimento, de acordo com Moresi (2001) é uma mistura fluída de experiências, informação contextual, valores e intuição, formando um painel na mente de uma pessoa que a habilita a avaliar e obter novas experiências e informações. O conhecimento é a consequência mental de angariar informações e, em sua forma mais desenvolvida, apresenta‑se como a capacidade de chegar a novas descobertas com base no aprendizado e na experiência. São informações que foram analisadas e avaliadas sobre a sua confiabilidade, sua relevância e sua importância.

Para guardar uma informação, precisamos retê-la em nossa memória; para guardar um conhecimento, devemos incorporá-lo em nossa mente e, consequentemente, em nossa maneira de pensar.

Conhecimento demanda análise e avaliação sobre a confiabilidade, relevância e importância de dados e informações para a construção de um quadro de situação (Banca FCC/2015).

Inteligência

A inteligência é o dom humano capaz de “digerir” as informações, por meio da análise, e transformá-la em conhecimento útil. Pode ser vista como o conhecimento que foi sintetizado e aplicado a determinada situação para ganhar maior profundidade e consciência.

Baseia-se na experiência e intuição e, portanto, é habilidade puramente humana. É a faculdade humana de conhecer, compreender, raciocinar, pensar e interpretar. Envolve exercício de ponderação para a tomada da melhor decisão, bem como noções de ética, bom e ruim, certo e errado.

Inteligência é a informação devidamente filtrada, destilada e analisada que pode apoiar a tomada de decisões. A transformação de conhecimento em inteligência ocorre por meio de síntese da experiência e, muito além do que qualquer sistema de análise de informação, necessita de habilidades humanas (MORESI, 2001).

Vamos esquematizar para facilitar a memorização desse assunto!

Figura. Teoria da Informação. Fonte: Quintão (2020)

Espero que lhe tenha sido bem útil esse artigo. No próximo post, faremos diversas questões de provas sobre essa temática.

Até lá.

Um abraço,

Profa Patrícia Quintão

Professora e Coordenadora dos cursos de TI e Informática do Ponto dos Concursos

Personal & Professional Coach e Leader Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching

E-mail:  patricia@pontodosconcursos.com.br 

Instagram@profapatriciaquintao | Twitter: http://www.twitter.com/plquintao

| Facebookhttp://www.facebook.com/profapatriciaquintao 

| Telegram: https://t.me/coachpatriciaquintao

| YouTube: https://www.youtube.com/c/Patr%C3%ADciaQuint%C3%A3o/videos?view_as=subscriber

Receba nossas novidades por e-mail

Autor(a): Professora Patrícia Quintão

É professora de Informática para Concursos desde o ano de 2003. No Ponto dos Concursos, tem ministrado aulas de informática e tecnologia da informação desde 2009, além de integrar a equipe dos professores que atuam no Coaching para Concursos, assessorando os candidatos para que consigam atingir seu objetivo: a aprovação em concurso público, de forma mais rápida e eficiente. Auxilia também os candidatos na elaboração dos recursos (Ponto Recursos) e é coordenadora dos cursos de TI e informática do Ponto. Também tem lecionado disciplinas técnicas da área de Sistemas de Informação e Ciência da Computação, em cursos de graduação e pós-graduação, além de atuar como gerente de segurança da informação da PRODABEL-Prefeitura de Belo Horizonte/MG. É Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pela COPPE/UFRJ, Especialista em Gerência de Informática e Bacharel em Informática pela Universidade Federal de Viçosa. Atua ainda como membro: da Sociedade Brasileira de Computação, do PMI - Project Management Institute (e do Brazil Chapter do PMI, com sede em BH), da ISACA (associada também ao Capítulo Brasília), da Comissão de Estudo de Técnicas de Segurança (CE-21:027.00) da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), responsável pela elaboração das normas brasileiras sobre gestão da Segurança da Informação. Tem certificações técnicas na área de segurança, gerenciamento de projetos, governança e redes, além de artigos publicados a nível nacional e internacional com temas da área de informática. Autora dos livros: - "Informática FCC - Questões comentadas e Organizadas por Assunto", e - "1001 questões comentadas de informática-CESPE", E como não poderia deixar de ser, nas horas vagas, também concurseira, tendo sido aprovada em vários concursos, como: Professora titular do Departamento de Ciência da Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia; Professora substituta do Departamento de Ciência da Computação da UFJF; Analista de Tecnologia da Informação/Suporte, Prodabel; Analista do Ministério Público MG; Analista de Sistemas, Dataprev, Segurança da Informação; Analista de Sistemas, Infraero; Analista - TIC, Prodemge; Analista de Sistemas, Prefeitura de Juiz de Fora; Analista de Sistemas, SERPRO; Analista Judiciário (Informática), TRF 2ª Região RJ/ES, etc.

Instagram did not return a 200.

Siga-nos no Instagram

Scroll Up