Comentários sobre a prova de Língua Portuguesa para Técnico do MPU (Há possibilidade de recurso)

  1. A cultura é um fator que limita a concepção de mundo dos diferentes povos, levando-os a uma visão estreita das dimensões da vida humana.

Item errado.

A cultura, em si, não limita nada; mas ela é limitada pelo etnocentrismo (l. 4-10).

  1. De acordo com o texto, a herança cultural repassada pelos pais contribui para que seus filhos desenvolvam uma visão etnocêntrica.

Item certo.

A resposta pode ser fundamentada nas linhas 13-15.

  1. Um dos principais desencadeadores do etnocentrismo é a xenofobia.

Item errado.

A relação é contrária (l. 19-21): o etnocentrismo é a causa; a xenofobia, a consequência.

  1. Na linha 4, a correção do texto seria prejudicada caso a vírgula empregada logo após o parêntese fosse substituída por ponto e vírgula.

Item certo.

O sinal de ponto e vírgula não se presta à separação entre uma oração subordinada antecipada e sua oração principal.

  1. No texto, a palavra “depreciando” (l.5) foi empregada com o sentido de desprezar.

Item certo.

Questão trata do significado contextual de palavras. As palavras destacadas podem ser permutadas entre si.

  1. O trecho “Tomar conhecimento (…) preconceituosa” (l. 16 a 18) poderia ser reescrito, sem prejuízo da correção gramatical e do sentido do texto, da seguinte forma: Tomar conhecimento do outro sem aceitar a lógica de seu pensamento e sem acatar a lógica de seus hábitos acabam gerando uma visão etnocêntrica e preconceituosa.

Item errado.

O sujeito é oracional: “Tomar…”. Nesse caso, a concordância verbal deveria ter sido feita no singular: acaba.

  1. No penúltimo período do texto, a correção gramatical estaria preservada se, logo após a forma verbal “pensarmos” (l. 21), fosse inserida a expressão por exemplo, desde que excluídas a expressão “apenas como exemplos” (l. 24) e a vírgula que a antecede.

Item errado.

Expressões como “por exemplo”, “ou seja” e “isto é” são isoladas por vírgulas, o que não foi sequer mencionado pelo examinador. Não dá para fazer exatamente o que ele propôs sem prejudicar a correção do texto.

  1. A inserção de uma vírgula após “global” (l. 26) alteraria os sentidos originais do texto, mas não sua correção gramatical.

Item certo.

A expressão que surge após “global” exerce um papel de adjetivo restritivo, limitando o alcance semântico do tal “processo de integração global”. O emprego da vírgula é gramaticalmente possível, mas o sentido original torna-se alterado, por dar a entender que todo e qualquer processo de integração global decorrente, intrinsicamente, da modernização mencionada no texto. A expressão adjetiva assumiria um papel explicativo.

  1. Em “servindo-nos” (l. 3), o pronome “nos” poderia ser suprimido, sem prejudicar a correção gramatical e a coesão do texto.

Item certo.

Não há nada do ponto de vista gramatical que impeça a exclusão desse pronome. A adequada coesão textual está assegurada por meio de outros elementos linguísticos presentes no texto. O sentido original não seria afetado. Graças, por exemplo, a outros pronomes e verbos flexionados na primeira pessoa do plural, é possível compreender o texto adequadamente mesmo sem a presença do pronome “nos”.

  1. Depreende-se do texto que a cota eleitoral de sexo é um dos exemplos mais prósperos de ação afirmativa implementada no Brasil, no que diz respeito à eliminação da discriminação contra a mulher.

Item errado.

Em primeiro lugar, a cota eleitoral não é o mesmo que a Convenção. Em segundo, o texto não expressa um juízo de valor a ponto de nos permitir depreender que o tal exemplo é um dos mais prósperos. Não há fundamento no texto para esse tipo de avaliação.

  1. As medidas a que se refere o terceiro parágrafo estão elencadas no segundo parágrafo, especificamente no trecho ‘toda distinção (…) outro campo’ (l. 7 a 13).

Item errado.

O que há é uma explicação ou esclarecimento sobre o que constitui discriminação contra a mulher.

  1. Conforme o terceiro parágrafo do texto, a Convenção pretende implementar medidas que acabem com a prática da prostituição e alterem os padrões de conduta da sociedade em geral com relação à mulher.

Item errado.

Segundo o texto, a tentativa é para acabar especificamente com a exploração da prostituição feminina, e não com a prática dela em si ou mesmo com qualquer tipo de prostituição (masculina, por exemplo). É sabido que, no Brasil, de acordo com o artigo 230 do Código Penal, não é crime se prostituir, mas sim tirar proveito da prostituição alheia, participando diretamente de seus lucros ou fazendo-se sustentar, no todo ou em parte, por quem a exerça. Além disso, o intuito não é mudar os padrões de conduta da sociedade em geral. Isso é uma extrapolação do que diz o texto.

  1. O texto informa que, em 2002, entrou em vigor no Brasil o primeiro dispositivo legal para eliminação da discriminação contra a mulher.

Item errado.

Em 2002, passou a vigorar no Brasil a tal Convenção. Antes disso, porém, já vigorava a Lei nº 9.504 desde 1997.

  1. O trecho “para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher” (l. 2 e 3) apresenta a razão pela qual a ONU aprovou a referida Convenção.

Item errado.

O sentido é de finalidade, e não de razão, causa ou motivo.

  1. Mantendo-se a correção gramatical e os sentidos do texto, o primeiro parágrafo poderia ser reescrito da seguinte forma: Em 1979, a Assembleia Geral da ONU aprovou a Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher. No entanto, apenas em 2002 o tratado internacional passou a viger internamente no Brasil.

Item errado.

No trecho original, a ideia de oposição que a locução conjuntiva adversativa “No entanto” empresta ao trecho reescrito é questionável. Portanto entendo haver aqui uma possibilidade de recurso contra o gabarito preliminar da banca, que considerou o item como certo.

  1. A substituição de “e suprimir” (l. 17) por ao suprimir não comprometeria a correção gramatical do período, mas alteraria seu sentido original.

Item certo.

O sentido original é de adição de ideias. Na reescritura, o sentido passaria a ser de concomitância, simultaneidade.

  1. Seria gramaticalmente correta a substituição de “das mulheres” (R.15) por às mulheres.

Item certo.

Na dúvida, empregue um nome masculino: “liberdades fundamentais aos homens”. Se usamos ao(s) para o masculino, devemos usar à(s) para o feminino.

Albert Iglésia

Receba nossas novidades por e-mail

Autor(a): Professor Albert Iglésia

É graduado em Letras pela Universidade de Brasília (UnB) e tem especialização em Língua Portuguesa. Ministra aulas voltadas para concursos públicos desde 2001. Iniciou suas atividades como professor no Rio de janeiro. Atualmente, leciona aulas de interpretação de texto, gramática e redação oficial em alguns cursos preparatórios em Brasília. Além disso, é professor do ensino médio de um colégio público federal no DF. Já atuou como instrutor da Esaf, da Casa Civil da Presidência da República e de outras instituições voltadas para a capacitação de servidores públicos.

  • A espera que acaba com a nossa paciência! 😓
  • A meu ver, você precisa prestar atenção nessa dica! ;)
  • Faça a sua parte para realizar seus objetivos! ;)
  • Quem nunca passou por isso conferindo gabarito, não é mesmo?
  • Além de manter a saúde em ordem, a prática de atividades físicas coloca suas emoções em dia, pois diminui o estresse e a ansiedade. Algumas modalidades ainda possuem o bônus de trabalhar concentração e foco. Qual exercício você faz no seu tempo livre? ☺
  • Dedique-se ao que você deseja. O sucesso vem! ;)
  • Saber organizar o tempo é uma das principais dificuldades dos estudantes. Confira nossas dicas e monte seu cronograma de estudos! ;)
  • Comece 2019 focado em suas metas! O Prof. Igor Oliveira vai te ajudar a se organizar para transformar em realidade todos os seus objetivos. Inscreva-se: http://bit.ly/evento_anonovo

Siga-nos no Instagram

Scroll Up