Caros, olá!

Vamos dar uma olhada em 3 possibilidades de recurso na recente prova da Faurgs para o cargo de AJAA do TJ RS.

Questão 42 – Uma conta retificadora do ativo:

a – diminui o passivo e o patrimônio líquido por meio de redução do resultado do exercício.

b – aumenta o ativo e o patrimônio líquido por meio de aumento do resultado do exercício.

c – diminui o ativo e o passivo por meio de redução do ativo.

d – não altera o patrimônio líquido em vista da compensação havida no ativo e no passivo.

e – diminui o ativo e o patrimônio líquido por meio de redução do resultado do exercício.

A resposta dada pela banca foi a letra E.

Isso está totalmente errado. Vamos ver o motivo.

O que é uma conta retificadora?

Retificadora (ou redutora) é uma conta que pode ser tanto do passivo quanto do ativo e representa uma redução do valor do elemento ao qual ela está relacionada.

Exemplo clássico de conta redutora do ativo é a depreciação acumulada, que reduz o valor do ativo ao qual ela se refere.

Ora, a conta de depreciação acumulada reduz o PL? De maneira nenhuma, absolutamente não! A conta que reduz o valor do PL é a conta de despesa de depreciação, que não é uma conta retificadora, mas sim uma conta de resultado. No âmbito da contabilidade pública, as contas de despesa são as VPDs.

Portanto, a conta que reduz o valor do PL é a VPD de depreciação, ou despesa de depreciação, conta de resultado, que jamais pode ser confundida com conta redutora.

Portanto, no contexto da questão, a única coisa que se pode dizer sobre uma conta retificadora do ativo, é que ela reduz o valor do ativo, o que deixa a questão sem resposta válida.

Questão 44 – Segundo o PCASP o registro contábil deve ser feito pelo método das partidas dobradas e os lançamentos devemdebitar e creditar contas que apresentem a mesma natureza de informação.

Assim, os lançamentos estarão fechados dentro das classes:

a – 1 e 2, 3 a 6, e 7 e 8

b – 1 e 2, 3 e4, e 5a8

c – 1 a 3, 4 e 5, e 6a8

d – 1 e 2, 3 a 5, e 6a8

e – 1 a4, 5 e 6, e 7 e 8.

A resposta dada pela banca foi a letra B, que está totalmente errada.A banca não tem nem o que alegar. O gabaritodeve ser alterado para letra E.

Vamos ver o motivo.

MCASP 7ª Edição–Parte IV – Item 3.5.1. Lançamentos Contábeis

O registro contábil deve ser feito pelo método das partidas dobradas e os lançamentos devemdebitar e creditar contas que apresentem a mesma natureza de informação.

Assim, os lançamentos estarão fechados dentro das classes 1 a 4 ou das classes 5 e 6 ou das classes 7 e 8:

  1. Lançamentos de natureza patrimonial: apenas debitam e creditam contas das classes 1, 2, 3 e 4.
  2. Lançamentos de natureza orçamentária: apenas debitam e creditam contas das classes 5 e 6.
  3. Lançamentos de natureza de controle: apenas debitam e creditam contas das classes 7 e 8.

Questão 45 – Ao elaborar o Balanço Financeiro, o setor público utiliza classes do PCASP. Dentre as alternativas abaixo, assinale a que representa, de forma correta, as classes utilizadas pelo setor público na elaboração desse balanço:

a – 1, 2, 3 e 4

b – 2, 3, 4 e 5

c – 3, 4, 5 e 6

d – 1, 3, 5 e 6 e 7

e – 1, 2, 3, 4, 5 e 6.

A resposta dada pela banca foi a letra A. Mais uma vez, errada.

O gabarito deve ser alterado para letra E.

MCASP 7ª Edição – Parte V – Item 3.4. Elaboração do BF

O Balanço Financeiro será elaborado utilizando-se as seguintes classes do Plano de ContasAplicado ao Setor Público (PCASP):

  1. Classes 1 (Ativo) e 2 (Passivo) para os Recebimentos e Pagamentos Extraorçamentários deDepósitos Restituíveis e Valores Vinculados, Saldo em Espécie do Exercício Anterior e Saldo emEspécie para o Exercício Seguinte;
  2. Classe 3 (Variações Patrimoniais Diminutivas) para as Transferências Financeiras Concedidas;
  3. Classe 4 (Variações Patrimoniais Aumentativas) para as Transferências Financeiras Recebidas;
  4. Classe 5 (Orçamento Aprovado) para a Inscrição de Restos a Pagar12; e
  5. Classe 6 (Execução do Orçamento) para a Receita Orçamentária, Despesa Orçamentária ePagamento de Restos a Pagar.

Questão 43 – Essa está correta, letra D é a resposta.

Como alguns alunos ficaram em dúvida, vamos resolver rapidamente:

Valor do bem 100000

Compra a prazo (não interessa para a depreciação)

Valor residual 10000

Vida útil 9 anos

Método soma dos dígitos (método de Cole)

Depreciação acumulada até o quinto ano: ?

No método da soma dos dígitos fazemos o seguinte:

Somamos os dígitos referentes a cada ano de vida útil:

9 + 8 + 7 + 6 + 5 + 4 + 3 + 2 + 1 = 45

Dividimos o valor depreciável pelo resultado dessa soma:

Valor depreciável = 100 000 – 10 000 = 90 000

90 000 / 45 = 2000

Multiplicamos o valor encontrado pela soma dos anos de depreciação:

5 anos = 9 + 8 + 7 + 6 + 5 = 35

35 x 2000 = 70000

Nesse método a depreciação é decrescente ao longo do tempo:

Ano 1 – 18000

Ano 2 – 16000

Ano 3 – 14000

Ano 4 – 12000

Ano 5 – 10000

Total nos 5 primeiros anos = 70000

Boa sorte nos recursos!

Curtam minha página no Facebook:

http://www.facebook.com/professormarceloseco

Instagram:

@professormarceloseco

Receba nossas novidades por e-mail

Autor(a): Professor Marcelo Seco

Vou acompanhá-los nas matérias de Contabilidade Geral, Pública e de Custos, além de Auditoria e de Legislação Tributária Estadual e Municipal. Sou paulistano, graduado em Sistemas de Informação e pós-graduado em Engenharia de Software. Minha experiência no mundo dos concursos começou em 1992, ano em que fui aprovado em concursos para a Sabesp (Analista de Sistemas), Cetesb (Analista Administrativo) e Comgás (Analista Financeiro). Na época, embora tivesse passado em primeiro lugar na Comgás, acabei optando pela Sabesp, onde trabalhei por alguns anos. Em determinado momento resolvi sair da Sabesp para a iniciativa privada (sim, isso acontece, meus caros). Em meus anos no setor privado ocupei os cargos de Diretor Administrativo e Diretor Financeiro, o que me proporcionou adquirir um vasto leque de conhecimentos. Em janeiro de 2009 retomei a vida de concurseiro e, tendo sido aprovado no primeiro concurso para APOFP da Sefaz-SP, voltei ao serviço público. Em 2012 fui aprovado no concurso para AFTM do Município de São Paulo, cargo que exerci até há pouco tempo. Atualmente sou Agente Fiscal de Rendas na Sefaz-SP. Nos últimos sete anos tenho estado imerso nesse mundo e angariei conhecimento sobre as matérias que precisamos estudar e também sobre a forma correta de nos prepararmos para as provas. É esse conhecimento, associado à minha experiência como professor do Ponto e da Escola Fazendária de São Paulo, que pretendo dividir com vocês.

  • Comece os estudos para o MPU desde cedo! Participe da nossa Turma de Elite e saia na frente: bit.ly/eliteMPU_analista 😉⠀
  • Garanta a melhor preparação para o MPU desde já, concurseiro! Estude com o material do Ponto e fique confiante para a prova: bit.ly/eliteMPU_tecnico
  • Difícil ser modesto depois de tanto estudo. 😂
  • Pronto para mais uma missão, concurseiro? A terceira etapa da Mentoria do Comandante vai acontecer nos dias 20/8 e 23/8 às 20h. Não perca nossa revisão de Administração Financeira e Orçamentária: bit.ly/mentoria_encontros
  • Aproveite o dia de hoje para mostrar que tudo pode ser feito!
  • Tire suas dúvidas sobre TI para SEFAZ/GO com uma especialista! No dia 28 de agosto, tem AULÃO GRATUITO com a Profa. Patrícia Quintão! Inscreva-se: http://bit.ly/aulao_sefazgo
  • Mirando em uma vaga no MPU, concurseiro? Temos o material certo para facilitar a sua aprovação. Confira: bit.ly/curso_MPU
  • O uso de maiúsculas e minúsculas parece simples, mas pode confundir em alguns casos. Confira!

Siga-nos no Instagram

Scroll Up